Quiropraxia, qual seu objetivo

    Para entender a dor e porque um quiropraxista pode ajudar a aliviá-la, precisamos antes de tudo entender um pouco sobre como funciona o sistema nervoso e como a informação da dor é transmitida para o cérebro. Se pudesse observar uma célula nervosa no microscópio, veria pequenas fibras semelhantes a raízes que se projetam a partir do corpo celular. Estas estruturas são chamadas de dendritos. Na outra extremidade da célula, veria uma estrutura longa, fina, muito semelhante a uma corda, chamada de axônio. Células nervosas se interligam através desses axônios e dendritos, mas não apresentam contato físico verdadeiro. Quando uma célula nervosa registra dor, esta informação é transmitida ao longo do axônio e através do espaço entre o axônio e os dendritos da próxima célula nervosa via impulsos eletroquímicos ou neurotransmissores. Uma vez que esses dendritos recebem o sinal, eles o encaminham para o axônio na outra extremidade da célula, e, deste modo, a cadeia de comunicação entre o local da dor e o cérebro continua (lembre-se que todo esse processo acontece quase instantaneamente).


    Os nervos do nosso corpo têm várias funções. Alguns nervos são sensíveis à dor (nociceptores) pertencentes à classe C. Esses nervos são menores, e formam cadeias mais primitivas de células nervosas. Essas células liberam uma substância química chamada de substância P, além de vários outros neurotransmissores, quando estimuladas pela dor. A mensagem da dor é carregada pela substância P de célula nervosa em célula nervosa, através de seus dendritos e axônios, até chegar ao corno dorsal. Esta é uma parte da medula espinhal que é responsável por receber dados de todos os nervos sensitivos. Partindo do corno dorsal, a informação é levada ao tálamo, uma estrutura localizada profundamente no cérebro. O tálamo, por sua vez, é responsável por receber toda a informação sensorial e enviá-la ao córtex cerebral (o córtex de projeção sensorial primária). Com a chegada de substância P ao tálamo, nosso cérebro entende a mensagem de que o corpo está sentindo algum tipo de dor. Com essa informação o cérebro pode então comandar o nosso corpo para que algo seja feito a respeito da dor.


    Tratar dor crônica com medicação ou cirurgia é muitas vezes ineficaz, ou pior, pode até causar mais dano do que a queixa inicial. Até poucos anos atrás, repouso e medicação antiinflamatória compunham a prescrição padrão para dor nas costas. É importante lembrar que existem situações nas quais cirurgia pode ser necessária para a resolução de algumas dores crônicas, mas também é importante saber que cada vez mais as pesquisas sobre este assunto têm mostrado que tais intervenções heróicas são menos necessárias do que antes se pensava. 


    A maior parte das drogas contra dor tem como objetivo impedir os receptores de dor de realizarem sua função ao intervirem em alguma parte do ciclo de formação da dor que foi descrito acima. Existem drogas opiáceas, como a morfina, os salicilatos como a aspirina e outras drogas antiinflamatórias não esteróides (AINEs). Essas drogas são imitações grosseiras das substâncias químicas supressoras da dor, naturalmente presentes no nosso corpo. Infelizmente, essas imitações geralmente têm efeitos adversos indesejáveis importantes. Por exemplo, 76 mil pessoas por ano nos Estados Unidos são hospitalizadas e 16.500 pessoas morrem devido ao uso de AINEs.


    Por mais estranho que possa parecer, o objetivo principal do seu quiropraxista não é aliviar a dor. O seu alívio é, na verdade uma feliz conseqüência do cuidado quiropráxico natural e visa corrigir a interferência mecânica sobre o sistema neurológico e restaurar a função normal da região que causou a sua dor. Utilizando os resultados do exame físico, ortopédico, neurológico, da avaliação quiropráxica, análise postural, do exame de sangue, raio X e da ressonância magnética, seu quiropraxista localizará a região da disfunção e poderá promover o alinhamento articular fisiológico usando técnicas manuais e equipamento especializado, único ao profissional quiropraxista.


    A chave para a verdadeira recuperação é o restabelecimento da função. A melhor maneira de aliviar a dor das costas é a movimentação do paciente, que ajuda a restaurar a função normal dos ossos, músculos e tecido conjuntivo. Basicamente esta tem sido a técnica utilizada por quiropraxistas há décadas, mas o funcionamento que o quiropraxista quer restaurar é mais sutil do que os médicos convencionais querem reconhecer. Quando lidamos com a dor no sistema neuromuscular através da quiropraxia, que tem seu enfoque na restauração da função ao invés do tratamento da dor, ela desaparece sem haver necessidade de drogas ou cirurgia. 


    Se você estiver sentindo dor, procure antes um doutor quiropraxista. Caso durante os exames seja constatado que a sua dor está fora do alcance da prática quiropraxista, seu doutor irá encaminhá-lo para o profissional mais adequado para as suas necessidades.


    O que é: A quiropraxia dedica-se à prevenção, diagnóstico e tratamento de dores e outras alterações do sistema neuro-músculo-esquelético, ou seja, o tratamento de problemas de articulações, músculos, tendões, nervos e outras estruturas. Vários métodos terapêuticos são utilizados, destacando-se técnicas específicas de terapia manual, em especial o ajustamento articular.


    Fonte: Everett Langhans